Israel forma governo de coalizão para enfrentar pandemia do coronavírus

  • Por Jovem Pan
  • 21/04/2020 06h25 - Atualizado em 21/04/2020 08h32
Os dois devem dividir os próximos três anos no cargo, sendo que Netanyahu exerce o poder pelos próximos 18 meses

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, e o rival Benny Gantz assinaram um acordo para formar uma coalização governista de emergência.

Os dois devem dividir os próximos três anos no cargo, sendo que Netanyahu exerce o poder pelos próximos 18 meses. Neste período, o opositor ficará a frente do ministério da Defesa.

A decisão coloca um ponto final em um cenário de instabilidade política no país, que passou por três eleições inconclusivas em apenas um ano.

A ideia de um governo conjunto era rejeitada por Gantz, líder do partido centrista Azul e Branco, que se recusava a comandar ao lado de um primeiro-ministro acusado de corrupção.

O principal temor dos opositores de Netanyahu é que ele use os poderes como primeiro-ministro para conseguir imunidade e evitar que o caso dele avance.

No entanto, a pandemia de coronavírus chegou ao país e acelerou a necessidade de resolver o impasse político. Se não houvesse esse acordo, o país iria às urnas pela quarta vez desde abril do ano passado.

Israel registrou mais de 13 mil e 500 casos de coronavírus e 177 mortes.

*Com informações da repórter Nanny Cox