João Doria aparece à frente em todos os cenários que disputa pelo governo de SP

  • Por Jovem Pan
  • 13/12/2017 07h45 - Atualizado em 13/12/2017 07h58
Tom Vieira Freitas/Estadão ConteúdoO atual prefeito de São Paulo, João Doria, aparece como favorito do PSDB para disputar o Palácio dos Bandeirantes com 40,1% da preferência dos eleitores paulistas

Enquanto o cenário para a presidência da República parece levemente mais definido, o que se tem na disputa pelo governo de São Paulo é algo mais “apertado” entre os eleitores do Estado.

Em pesquisa do Instituto Paraná, seis cenários foram observados. Confira abaixo:

O primeiro cenário fica na disputa entre João Doria, atual prefeito de São Paulo, com 27% das intenções de voto, seguido de Celso Russomanno (26,9%) e Paulo Skaf (15,6%). Logo depois vêm Luiz Marinho (3,9%), Rodrigo Garcia (2,7%), Carlos Giannazi (1,8%) e Márcio França, atual vice-governador do Estado (1,8%). Dos entrevistados, diante deste cenário, 16,2% disseram que não votariam em nenhum, enquanto 4,2% não souberam responder.

No segundo cenário, sem Celso Russomanno, o prefeito João Doria aparece com larga vantagem ante Paulo Skaf – 38,6% contra 21,4%, respectivamente. Luiz Marinho vem em terceiro com 5,7%, Rodrigo Garcia com 5,5%, Márcio França com 2,6% e Carlos Giannazi com 2,4%. Neste cenário, 18,3% disseram não votar em nenhum dos nomes apresentados. 5,6% não souberam responder.

No terceiro cenário, com José Serra no lugar de João Doria, é Russomanno quem leva vantagem (26,5%), seguido por Serra (24%), Skaf (17,7%), Luiz Marinho (3,6%), Rodrigo Garcia (2,6%), Carlos Giannazi (1,9%) e Márcio França (1,9%). Dos entrevistados, diante deste cenário, 17% disseram que não votariam em nenhum, enquanto 4,8% não souberam responder.

No cenário 4, sem Doria e Russomanno, José Serra leva a melhor contra Skaf – 32,4% contra 25,1%, respectivamente. Luiz Marinho vem com 5,7%, Rodrigo Garcia com 4,3%, Márcio França com 2,8% e Giannazi com 2,6%. Dos entrevistados, diante deste cenário, 21,4% disseram que não votariam em nenhum, enquanto 5,7% não souberam responder.

Em um quinto cenário, contando com a presença de Fernando Haddad, o atual prefeito de São Paulo leva a melhor com 36%, seguido de Skaf (19,2%), Haddad (14,1%), Garcia (4,5%), França (2,4%) e Giannazi (2,1%). Neste cenário, 16,8% disseram não votar em nenhum dos nomes apresentados. 4,9% não souberam responder.

No último cenário analisado na pesquisa, sem a presença de Doria, José Serra sai à frente com 29,4%, seguido de Paulo Skaf com 22,9%, Fernando Haddad com 14,8%, Rodrigo Garcia com 3,7%, Márcio França com 2,7% e Carlos Giannazi com 2,3%. Não votariam em nenhum dos nomes 19,5% dos entrevistados, e 4,7% deles não saberiam em quem votar.

Candidatos do PSDB com mais potencial de voto

O atual prefeito de São Paulo, João Doria, aparece como favorito do PSDB para disputar o Palácio dos Bandeirantes com 40,1% da preferência dos eleitores paulistas. José Serra vem com 26,7%, Luiz Felipe D’Ávila tem 4,2% das intenções e Floriano Pesaro 1,5%. 22,6% dos entrevistados disseram que não votariam em nenhum dos nomes apresentados. 4,9% não souberam responder em quem votariam.

Candidatos do PT com mais potencial de voto

O vereador e ex-senador Eduardo Suplicy leva vantagem, com 28%, contra o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, que tem 16% da preferência dos entrevistados para ser o nome do PT para disputar o governo paulista. Luiz Marinho vem em terceiro com 8,5%. Entretanto, a taxa de rejeição a todos os nomes do PT é maior que a alcançada por Suplicy: 42,8%. 4,7% não souberam responder em quem votariam.

Avaliação da administração do governo de Geraldo Alckmin

33,2% dos entrevistados classificaram como “ótima/boa” a administração do atual governador do Estado; 36,8% classificaram como “regular” e 28,1% disseram ser “ruim/péssima”. 1,8% dos entrevistados não sabiam ou não opinaram.

Sobre a aprovação ao governo tucano, 54,2% dos entrevistados disseram aprovar; 40,4% desaprovam e 5,4% não souberam responder ou não opinaram.

Dados da pesquisa

O universo desta pesquisa abrange os eleitores do Estado de São Paulo. Para a realização desta pesquisa foi utilizada uma amostra de 2.016 eleitores, sendo esta estratificada segundo sexo, faixa etária, grau de escolaridade, nível econômico e posição geográfica.

O trabalho de levantamento de dados foi feito através de entrevistas pessoais com eleitores com 16 anos ou mais em 76 municípios durante os dias 05 a 09 de dezembro de 2017, sendo checadas simultaneamente à sua realização em 20,0% das entrevistas.

Para a seleção da amostra utilizou-se o método de amostragem estratificada proporcional. Conforme o mapeamento do Estado em 15 mesorregiões homogêneas segundo o IBGE, considerou-se esta divisão geográfica como primeira estratificação.

Dentro de cada mesorregião, agruparam-se os municípios em grupos homogêneos, procedendo-se à estratificação proporcional final da amostra. A Paraná Pesquisas encontra-se registrada no Conselho Regional de Estatística da 1ª, 2ª, 3ª, 4ª, 5ª, 6ª e 7ª Região sob o nº 3122/17.

Tal amostra representativa do Estado de São Paulo atinge um grau de confiança de 95,0% para uma margem estimada de erro de aproximadamente 2,0% para os resultados gerais, nas análises das questões por localidade o grau de confiança atinge 95,0% para uma margem estimada de erro no estrato “Demais Mesorregiões do Estado” de aproximadamente 3,0% e na Mesorregião Metropolitana de São de aproximadamente 3,0%.

Confira a entrevista completa com o diretor do Instituto paraná, Murilo Hidalgo: