Joesley Batista diz à PF que Marcelo Miller foi apresentado a ele como ex-procurador

  • Por Jovem Pan
  • 01/03/2018 06h38
Geraldo Magela/Agência SenadoA declaração foi feita na terça-feira (27), durante um depoimento que durou cerca de 11 horas na sede da Polícia Federal, em São Paulo

O ex-empresário Joesley Batista reforçou que Marcelo Miller foi apresentado a ele como “ex-procurador” e não como membro do Ministério Público Federal.

A declaração foi feita na terça-feira (27), durante um depoimento que durou cerca de 11 horas na sede da Polícia Federal, em São Paulo.

De acordo com a defesa, foram 93 perguntas feitas pelo delegado.

Joesley prestou o depoimento à PF como colaborador no inquérito que investiga se Marcelo Miller beneficiou a JBS enquanto ainda estava na Procuradoria-Geral da República.

O advogado de Joesley, André Callegari, explicou que Marcelo Miller foi apresentado ao empresário como alguém sem qualquer vínculo com a PGR: “e ele esclareceu os pontos que o delegado tinha dúvida de como o Marcelo Miller chegou até a empresa”.

André Callegari também reforçou que, apesar de existirem notas emitidas, a JBS não efetuou nenhum pagamento ao escritório TRW, empresa onde Marcelo Miller passou a atuar.

A PGR rescindiu, na última segunda-feira (26), o acordo do irmão do empresário, Wesley Batista.

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, deve avaliar a validade das colaborações.

André Callegari disse que a defesa está confiante quanto à manutenção do acordo de delação de Joesley: “os fatos são os mesmos e o ministro Fachin já abriu prazo para que a defesa se manifestasse. Já nos manifestamos e estamos confiantes de que o acordo não pode ser rescindido por dois fatos supostamente praticados”.

Joesley Batista está preso desde setembro na Polícia Federal em São Paulo. O empresário responde à acusação de descumprir o acordo de delação premiada que fechou com a Procuradoria-Geral da República no ano passado.

*Informações da repórter Marcella Lourenzetto