Jorge Barata confirma que Odebrecht subornou, além de presidentes, governadores do Peru

Os depoimentos do ex-diretor da Odebrecht fazem parte de um acordo de colaboração com a Justiça peruana

  • Por Jovem Pan
  • 26/04/2019 07h20
EFEJorge Barata confirmou a existência de um cartel de empresas peruanas, chamado “clube da construção”

O ex-diretor da Odebrecht no Peru, Jorge Barata afirmou que a companhia subornou governadores do país, além de presidentes, para obter contratos de obras públicas. A declaração foi dada durante depoimento a procuradores peruanos.

Barata confirmou o pedido de suborno de 3% do valor referencial da construção de uma estrada, para o então governador de Cusco, Jorge Acurio. Anteriormente, o executivo havia contado que a construtora deu dinheiro em 2006 para a campanha eleitoral do ex-presidente Alan García, que se suicidou na semana passada.

Os novos depoimentos de Barata também atingem o ex-presidente Alejandro Toledo, que fugiu para os Estados Unidos, onde enfrenta um pedido de extradição para o Peru. E também Ollanta Humala, que ficou preso por nove meses e é investigado por lavagem de dinheiro.

Jorge Barata confirmou a existência de um cartel de empresas peruanas, chamado “clube da construção”, que dividia as licitações das obras pagando subornos.

Os depoimentos do ex-diretor da Odebrecht fazem parte de um acordo de colaboração com a Justiça peruana.

*Informações da repórter Natacha Mazzaro