Jovem que atropelou gari em SP não comparece à audiência e tem prisão preventiva decretada

  • Por Jovem Pan
  • 08/03/2018 07h29
EFE/Antonio LacerdaEm junho de 2015, a universitária atropelou e matou o gari Alceu Ferraz, na Avenida São João (imagem ilustrativa)

A juíza Sonia Nazaré Fernandes Fraga, da 24ª Vara Criminal de São Paulo determinou a prisão preventiva de Hivena Queiroz Del Pintor Vieira.

Em junho de 2015, a universitária atropelou e matou o gari Alceu Ferraz, na Avenida São João. Ela não compareceu à audiência realizada na última terça-feira (06) e, por isso, teve a prisão decretada.

O advogado Ademar Gomes, que representa os familiares da vítima, afirmou que a estudante fez pouco caso da Justiça: “ela foi intimada, nem sequer compareceu ou deu satisfação. E por essa razão, a juíza requereu que fosse decretada a prisão desta estudante”.

Segundo o depoimento de Hivena Queiroz, ela atropelou os dois garis, pois pensou que se tratava de dois bandidos que iriam assaltá-la.

Alceu Ferraz morreu na hora e o colega dele foi levado para o hospital com ferimentos leves. Na ocasião, a estudante fugiu sem prestar socorro.

Apesar da prisão preventiva, o advogado Ademar Gomes entendeu que a pena de Hivena será branda: “a nossa lei de trânsito é uma pena de impunidade para os criminosos de trânsito”.

Segundo o advogado, Hivena Queiroz será julgada por crime de trânsito sem dolo. A universitária vai permanecer presa até a decisão final do processo.

*Informações do repórter Vinicius Custódio