Jungmann critica penitenciárias e presos ociosos no País: ‘estamos cevando o monstro para nos devorar’

  • Por Jovem Pan
  • 14/08/2018 07h09
Tânia Rêgo/Agência BrasilO ministro disse que, além da superlotação, os presídios são dominados por facções criminosas

Presídios e penitenciárias brasileiras são verdadeiros depósitos de monstros, que têm suas vidas controladas por facções criminosas. A declaração foi dada nesta segunda-feira (13), no Rio de Janeiro, pelo ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, durante lançamento de uma PPP de futuras e novas unidades prisionais no país.

O ministro disse que, além da superlotação, os presídios são dominados por facções criminosas. Para ele, a sistemática carcerária deve ser alterada. Segundo ele, apenas 12% dos presos trabalham e 15% têm algum tipo de atividade educacional enquanto detido.

Jungmann destacou que, no ritmo atual, em 2025, o Brasil vai ter uma população carcerária de 1,5 milhão de pessoas, que vivem sob o controle das organizações criminosas.

O ministro destacou ainda que os presos são alimentados pelo Estado e depois se voltam contra a própria sociedade: “você demanda novas unidades e não apenas depósitos de presos que vivem ociosos, não trabalham, não têm estudo e estão nas mãos das facções. Nós estamos cevando o monstro para nos devorar”.

*Informações do repórter Rodrigo Viga