Jungmann fará videoconferência para definir conduta de polícias no combate aos crimes eleitorais

  • Por Jovem Pan
  • 15/10/2018 06h41
Valter Campanato/Agência BrasilO ministro Raul Jungmann explicou que todos os problemas deverão ser repassados à Justiça Eleitoral, que é ela quem vai decidir o que deve e o que não precisa ser investigado

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, pretende realizar nesta semana uma videoconferência com as áreas de segurança de todos os Estados brasileiros. O objetivo é tentar definir uma conduta conjunta de combate aos chamados crimes eleitorais.

O centro de comando e controle em Brasília, que foi montado para garantir a segurança durante o processo eleitoral, continua trabalhando até o final do segundo turno das eleições e o objetivo é deixar muito claro para as polícias nos Estados o que deve ser investigado, o que é crime ou não.

O ministro Raul Jungmann explicou que todos os problemas deverão ser repassados à Justiça Eleitoral, que é ela quem vai decidir o que deve e o que não precisa ser investigado.

Jungmann explicou ainda que não cabe aos policiais dizer o que pode e o que não pode agora nesse período eleitoral.

A partir do momento, em que o TSE, por exemplo, decidir que determinada informação ou atitude é crime, aí sim as polícias entram em ação apurando e investigando as denúncias.

O Tribunal Superior Eleitoral pretende se reunir nos próximos dias, com representantes do WhatsApp, do Google e do Facebook, para discutir exatamente a questão da veiculação de mensagens falsas.

A ideia é que o próprio site do tribunal catalogue as fake news para tentar minimizar as dúvidas com relação, por exemplo, à segurança e confiabilidade das urnas eletrônicas.

O TSE tem sido criticado por não ter definido ainda uma estratégia para combater esse tipo de problema.

Confira a cobertura completa das Eleições 2018

*Informações da repórter Luciana Verdolin