Jungmann volta a criticar modelo de encarceramento do País

  • Por Jovem Pan
  • 22/03/2018 06h18
Marcelo Camargo/Agência BrasilEm um momento em que a Operação Lava Jato, que completou recentemente quatro anos, prendeu muitos políticos e empresários, o ministro defendeu a necessidade de limitar o número de prisões

O ministro de Segurança Pública, Raul Jungmann, voltou a criticar o modelo de encarceramento do País.

Em um momento em que a Operação Lava Jato, que completou recentemente quatro anos, prendeu muitos políticos e empresários, o ministro defendeu a necessidade de limitar o número de prisões.

“Nós hoje, se continuarmos a prender muito e prender mal, estaremos jogando para dentro do sistema fechado os soldados do crime organizado no Brasil. Há grande necessidade de melhorar a qualidade daqueles que estamos mandando para as prisões. Que devem ser aqueles que cometeram crimes de sangue, violentos e hediondos. Temos que ter capacidade de regime semiaberto compatível com essa alternativa”, disse.

O ministro defendeu a aplicação de medidas alternativas para aqueles crimes menos violentos.

Só para se ter uma ideia do tamanho do problema, nos últimos 16 anos o número de vagas no sistema carcerário cresceu 171% enquanto que o déficit saltou para 269% dentro do que ele chamou de política de super-encarceramento.

Jungmann anunciou ainda que nos próximos dias o presidente vai assinar Medida Provisória que vai permitir que os planos de segurança entrem efetivamente em vigor.

*Informações da repórter Luciana Verdolin