Justiça afasta prefeito de Mauá do cargo e o impede de sair do País

  • Por Jovem Pan
  • 19/06/2018 08h13
Reprodução-AlespJacomussi estava preso desde o início de maio, mas na última sexta-feira o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes mandou soltá-lo

O prefeito de Mauá, Atila Jacomussi, foi afastado do cargo por determinação do Tribunal Regional Federal por tempo indeterminado.

Jacomussi estava preso desde o início de maio, mas na última sexta-feira o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes mandou soltá-lo. O ex-prefeito de Mauá, na Grande SP, é acusado de lavagem de dinheiro e participação em esquema de desvio de verbas da União destinadas à Educação em contratos para o fornecimento da merenda escolar.

A defesa de Atila Jacomussi, Daniel Bialski, disse que a prisão foi exagerada e que o prefeito não cometeu nenhum dos crimes apontados pela Polícia Federal.

O juiz federal Maurício Kato determinou o pagamento de fiança de R$ 85 mil, valor equivalente ao encontrado dentro da casa de Atila Jacomussi durante a operação Prato Feito. O ex-prefeito de Mauá está proibido de deixar o país e terá que entregar seu passaporte na sede da polícia. Ele também não pode sair do Estado de São Paulo por período superior a 15 dias.

*Informações do repórter Victor Moraes