Justiça condena pichadores por morte de dentista em 2016

  • Por Tiago Muniz/Jovem Pan
  • 29/06/2018 10h21 - Atualizado em 29/06/2018 10h22
ReproduçãoSuspeitos foram gravados por câmeras de segurança no dia do crime

A Justiça condenou dois pichadores por terem participado do assassinato de um dentista e ferido o pai dele há dois anos.

O veredito saiu no fim da noite de ontem depois de um julgamento de quase dez horas no Fórum Criminal da Barra Funda.

Marivone Pereira da Silva foi condenada a 32 anos de prisão pelo homicídio qualificado de Welinton da Silva e pela tentativa de homicídio contra Manoel da Silva.

O outro réu julgado nesta quinta-feira foi condenado à revelia.

Anailson Costa da Silva está foragido, mas pegou pena de 33 anos e três meses de prisão pelos crimes de homicídio, tentativa de homicídio, pichação e associação criminosa.

Outras quatro pessoas ainda deverão ser julgadas por envolvimento nos crimes, mas entraram com recursos e tiveram julgamentos remarcados.

Três acusados estão presos preventivamente e o quarto também está foragido.

O dentista Wélinton Silva foi assassinado por um grupo de pichadores na madrugada de 6 de agosto de 2016 em uma área próxima à casa dele no Jardim Marisa, zona norte de São Paulo, região da Brasilândia.

Ele e o pai foram agredidos pelo bando depois da casa em que moravam ter sido alvo de vandalismo pelo grupo de pichadores.