Justiça de SP aceita denúncia e Wesley Batista vira réu

A denúncia acatada pela Justiça nesta semana é a segunda por insider trading

  • Por Jovem Pan
  • 17/05/2019 08h15 - Atualizado em 17/05/2019 10h14
Divulgação Divulgação Wesley Batista comandou operações de câmbio da Seara Alimentos e Eldorado Celulose após prestar depoimento do acordo de delação premiada

O empresário Wesley Batista virou réu em uma ação que apura o uso de informações privilegiadas para lucrar no mercado financeiro. O juiz Diego Paes Moreira, da 6ª Vara Federal Criminal de São Paulo, acolheu a denúncia do Ministério Público Federal e deu 10 dias para os advogados apresentarem defesa.

De acordo com a acusação do último dia 7 de maio, Wesley Batista comandou operações de câmbio da Seara Alimentos e Eldorado Celulose após prestar depoimento do acordo de delação premiada.

O órgão afirma que ele sabia os impactos do conteúdo – que envolvia o então presidente Michel Temer – na cotação da moeda.

Os investigadores calculam que Wesley Batista lucrou quase R$ 70 milhões com acordos de dólar firmados dias antes da divulgação do teor da colaboração premiada.

A defesa alegou que as atividades cambiais eram cotidianas da empresa e que o executivo não tinha como saber a data de homologação da delação pelo Supremo Tribunal Federal.

Já o MPF afirmou que relatórios da Comissão de Valores Mobiliários da Procuradoria-Geral da República mostraram que as transações realizadas pelo grupo foram atípicas.

Nesta sexta-feira, completam dois anos da revelação do conteúdo da delação premiada assinada por Wesley e Joesley Batista, que envolveu o ex-presidente Michel Temer.

No dia 19 de maio de 2017, os irmãos admitiram que compraram dólares pela JBS e FB Participações na véspera do vazamento do conteúdo da colaboração. Em setembro, Wesley Batista foi preso pelo crime, mas foi solto alguns meses depois.

O Ministério Público chegou ainda a pedir a rescisão da delação dos irmãos Batista por acreditar que eles agiram de má-fé e omitiram informações. O recurso está sob análise do Supremo Tribunal Federal.

A denúncia acatada pela Justiça nesta semana é a segunda por insider trading contra o empresário Wesley Batista.

*Informações da repórter Nanny Cox