Justiça do RJ manda libertar PM do Batalhão de São Gonçalo e abre precedente para outros 95

  • Por Jovem Pan
  • 25/08/2017 07h01 - Atualizado em 25/08/2017 12h12
Reprodução/Google Maps Operação Calabar prendeu 96 policiais por acusações de ligação com o tráfico de drogas, sequestro de bandidos, extorsão, propina, corrupção e outras ilegalidades

Justiça manda soltar policial militar infrator do Batalhão de São Gonçalo que foi detido este ano juntamente com outros 95 policiais.

O desembargador da Sexta Câmara Criminal do Rio de Janeiro, juiz Luiz Noronha Dantas, suspendeu, nesta quinta-feira (24), o processo contra o PM Gilmar Correia de Souza Jr. Ele foi um dos 96 policiais militares presos, acusados de corrupção, na operação Calabar.

Essa operação ocorreu em junho e tem como foco o Batalhão de São Gonçalo. O pedido de libertação liminar do PM foi feito pela defensoria Pública, que sustentou que a denúncia apresentada pelo Ministério Público era pouco fundamentada.

O juiz desembargador, com a decisão de libertar o PM, abre precedente para a libertação de outros policiais. Lembrando que a Operação Calabar prendeu 96 policiais por acusações de ligação com o tráfico de drogas, sequestro de bandidos, extorsão, propina, corrupção e outras ilegalidades.

Não foi a primeira vez que o Batalhão de São Gonçalo foi alvo de operações no Rio de Janeiro.

*Informações do repórter Rodrigo Viga