Justiça torna Agnelo Queiroz, José Roberto Arruda e mais 10 réus por corrupção no Mané Garrincha

  • Por Jovem Pan
  • 26/04/2018 06h20
Wilson Dias/ABr Wilson Dias/ABr Os ex-governadores José Roberto Arruda e Agnelo Queiroz (foto) e o ex-vice-governador Tadeu Filipelli foram denunciados por corrupção, e a Justiça federal aceitou

Dois ex-governadores do Distrito Federal viraram réus pelo superfaturamento do Estádio Mané Garrincha, o mais caro do Brasil e o terceiro mais caro do mundo: R$ 1,7 bilhão foi o custo final.

Os ex-governadores José Roberto Arruda e Agnelo Queiroz e o ex-vice-governador Tadeu Filipelli foram denunciados por corrupção, e a Justiça federal aceitou. Agora são réus. Foram 12 suspeitos que são réus neste esquema de propina que construiu o estádio.

Corrupção passiva, organização criminosa, corrupção ativa, lavagem de dinheiro e fraude à licitação são os crimes praticados e que vão a julgamento.

Apesar deste monumento de R$ 1,7 bilhão, nenhum time brasiliense está sequer na primeira ou segunda divisão do futebol nacional.

*Informações do repórter José Maria Trindade