Justiça torna réus assessor especial de Guedes e mais 28 por fraudes em fundos de pensão

  • Por Jovem Pan
  • 18/01/2020 08h40
Marcos Oliveira/Agência Senadoacusação aponta um prejuízo total de R$ 5,5 bilhões nos fundos de pensão

O juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª vara federal de Brasília, acolheu a denúncia contra 29 ex-dirigentes de fundos de pensão. A denúncia havia sido apresentada pelo Ministério Público na semana passada, no âmbito da operação Greenfield.

Entre os réus está o assessor especial do ministro da Economia Paulo Guedes, Esteves Colnago. Ex-ministro do Planejamento do governo Temer, Colnago integrava o conselho deliberativo da Funcef, ligado aos funcionários da Caixa, e votou a favor de um dos aportes feitos pelo fundo.

O MPF afirma que os conselheiros denunciados aprovaram de forma absurda um investimento de mais de R$ 1 bilhão, o FIP Sondas, sem sequer examinar as condições da liberação dos recursos.

A acusação aponta um prejuízo total de R$ 5,5 bilhões nos fundos de pensão. Os fundos em questão são de funcionários da Caixa, do Banco do Brasil, da Petrobras e da Vale.

Os procuradores pedem a reparação dos danos em três vezes esse prejuízo, o que equivale a R$ 16 bilhões. O crime de gestão temerária prevê pena de reclusão de dois a oito anos.

O FIP Sondas é ligado à empresa Sete Brasil, criada pelo governo Lula para cuidar de 28 sondas que serviriam à Petrobras na exploração do petróleo do pré-sal.

Durante a Operação Lava Jato, foi descoberto que a Sete também captava propina para partidos políticos em troca de contratos.

*Com informações do repórter Renan Porto