“Las Vegas amanhece bem escura”, diz brasileiro após ataque a tiros

  • Por Jovem Pan
  • 02/10/2017 10h09
EFE/PAUL BUCK Policial monta guarda perto de uma mulher enrolada em uma manta em frente ao hotel Mandalay Bay, onde tiroteio deixou dezenas de mortos

Bruno Guimarães Gomes Filho, estudante de 20 anos que mora em Las Vegas, passeava tranquilamente pelas principais vias da cidade na noite deste domingo (1) quando notou algo diferente. “Estava perto da Strip (trecho da Las Vegas Boulevard, onde se localizam a maioria dos hotéis e cassinos) e comecei a ver muita movimentação de policiais e ambulâncias”.

Rapidamente, Bruno verificou no celular que havia ocorrido um ataque a tiros a poucos metros dali. Os números oficiais constatavam dois mortos naquele momento, mas agora já se sabe que o atirador que disparou contra o público de um festival de música “country” matou ao menos 50 pessoas e deixou mais de 200 feridas.

Os “muitos policiais” pediam para as pessoas irem para casa e evitarem sair. O brasileiro conta que a rua principal da cidade norte-americana foi fechada.

Já em casa, Bruno não conseguiu dormir e começou a acompanhar a repercussão dos ataques. “Amigos de amigos estavam (no show onde ocorreu o ataque) e já vi muitos vídeos. O negócio foi muito feio”, diz.

A maioria dos moradores de Las Vegas, no entanto, ainda vai acordar com a triste notícia da tragédia. “Acredito que muita gente ainda nem sabe. São 5h30 da manhã (às 9h30 no horário de Brasília) e como (o ataque) aconteceu ontem à noite, muitos já estavam dormindo”, explicou Bruno em entrevista exclusiva à Jovem Pan.

“Las Vegas amanhece bem escura, principalmente pelos mortos, e eu não sei sinceramente como a cidade vai acordar”, resume Bruno.