Lava Jato cumpre mandados em empresas de petróleo na Suíça

  • Por Jovem Pan
  • 22/11/2019 06h57 - Atualizado em 22/11/2019 06h59
PixabayAs investigações apontam que a Vitol realizou negócios com a Petrobras - operações de compra e venda de petróleo e derivados - na casa de US$ 14 bilhões

O Ministério Público da Suíça cumpre mandados de busca e apreensão em Genebra, em cooperação com a força-tarefa da Lava Jato, do Paraná. Os alvos são endereços ligados às empresas Vitol e Trafigura – com atuação no mercado de petróleo.

Os procuradores de Curitiba explicam que as investigações revelam envolvimento de integrantes das duas empresas em esquema de pagamento de propinas a funcionários da Petrobras em troca de facilidades em contratos e preços vantajosos com a estatal brasileira.

O MPF ressalta que a etapa, 68ª fase da Operação, pretende aprofundar as investigações conduzidas no Brasil sobre os crimes de corrupção, lavagem de ativos e organização criminosa.

As investigações apontam que a Vitol realizou negócios com a Petrobras – operações de compra e venda de petróleo e derivados – na casa de US$ 14 bilhões, entre 2004 e 2015. Já a Trafigura movimentou mais de US$ 9 bilhões.

O Procurador da República, Athayde Ribeiro Costa, explica o foco da fase com apoio na Suíça. “As principais revelações da Lava Jato até o momento eram voltadas a crimes relacionados a construção de refinarias.”

“Agora as investigações indicam esquemas de corrupção de valor milionários também compreendem a atividades rotineiras, como a comercialização de petróleo e derivados. A coleta de evidências contribui na responsabilização de integrantes da cúpula das empresas envolvidas e seus intermediários, alem de funcionários públicos de diferentes gerencias da área de comercialização da Petrobras”, completa.

A ação na Suíça é um desdobramento de duas fases anteriores da Lava Jato na apuração do pagamento de propina a funcionários da Petrobras entre 2009 e 2014, por empresas do mercado de petróleo.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos