Liberal, João Amoêdo defende abertura das fronteiras e expansão do agronegócio

  • Por Jovem Pan
  • 12/06/2018 11h52 - Atualizado em 14/06/2018 10h18
Jovem PanPré-candidato á presidência pelo Partido Novo, João Amoêdo, critico políticas externas de governos do PT

Entrevistado pela bancada do Jornal da Manhã, nesta terça-feira (12), João Amoêdo (Novo), se colocou como defensor do liberalismo econômico e apontou a busca por investidores estrangeiros como alternativa para a reinserção do Brasil no chamado mundo multipolar.

“Deveria se abrir mais a economia, trazer parceiros e se aliar com aquelas nações que têm princípio e valores com o que gostaríamos de ter. E não o que foi feito no passado”, explicou.

Amoêdo citou os exemplos dos últimos governos, entre eles Lula e Dilma, que em sua visão, se uniram com países atrasados apenas para defender bandeiras partidárias e não bandeiras da nação. Casos de Cuba e Venezuela.

Por outro lado, o pré-candidato ressaltou que o Brasil também não pode se “ajoelhar” diante de nações poderosas como Estados Unidos e China. “Temos vantagens competitivas em vários segmentos e o agronegócio é um exemplo mundial. Mesmo com a China, não tem porque ficamos numa condição subalterna. O Brasil é rico em recursos naturais e tem um povo empreendedor, trabalhador e criativo”, afirmou.

Segundo o pré-candidato, o fechamento das fronteiras gera um protecionismo interno, porém o brasileiro sempre acaba pagando a conta, principalmente pelas elevadas cargas tributárias e sobretaxação de produtos.

“Poderíamos abrir mais e isso seria bom para o agronegócio com uma capacidade maior de exportar para outros mercados. Não temos que ter medo de abrir porque somos competitivos”, declarou.

Confira a entrevista completa com o pré-candidato do Novo à Presidência, João Amoêdo: