Líder da bancada da segurança defende prioridade para reajuste de policiais

Deputado Capitão Augusto reconheceu que é a justa a reinvindicação de outras categorias, mas afirmou que o governo não tem recursos para todos: ‘É impossível’

  • Por Jovem Pan
  • 13/01/2022 07h11 - Atualizado em 13/01/2022 08h59
Luis Macedo/Câmara dos DeputadosCapitão Augusto ressaltou ainda que rever o aumento agora seria ruim para o governo

O líder da bancada da segurança pública na Câmara, deputado Capitão Augusto (PL), ainda acredita no reajuste prometido pelo governo a policiais federais. “Entendemos que é justa a reivindicação de todos os servidores por uma reposição pelo menos inflacionária. Nunca vimos um governo dar aumento para todas as categorias, todos os poderes, esferas. Isso é impossível. Nunca tem recursos para tudo isso. Então os governos sempre priorizam alguma área, seja na saúde, educação, administrativa. E nós temos o presidente Jair Bolsonaro priorizando um pouco a ala da segurança pública“, afirmou. A verba destinada ao aumento, cerca de R$ 1,7 bilhão, foi aprovada após negociações entre Planalto e Congresso, gerando insatisfação em outras categorias, que chegaram a entregar cargos e ameaçam iniciar paralisações.

Em entrevista ao Jornal Jovem Pan, Capitão Augusto ressaltou ainda que rever o aumento dos policiais seria ruim para o governo federal. “Vamos lembrar também que a segurança perdeu muito neste mandato. Foi aprovado no Congresso a PEC Emergencial, que como é um projeto de emenda constitucional não sabe ao presidente opinar ou sancionar, foi Câmara e Senado que aprovaram e a classe policial perdeu bastante”, afirmou, defendo que uma contrapartida para os agentes. O presidente tem até o dia 21 de janeiro para sancionar ou vetar o aumento dos policiais.

*Com informações do repórter Fernando Martins