Líder do PT na Câmara promete entrar com ações contra Moro, Dodge e desembargadores do TRF4

  • Por Jovem Pan
  • 14/08/2018 06h39
Reprodução/Harvard Law Brazilian Association Legal SymposiumJá no Conselho Nacional de Justiça vão representar contra os desembargadores do TRF4 Thompson Flores e João Pedro Gebran Neto e o juiz Sérgio Moro

O PT reagiu às declarações do diretor-geral da Polícia Federal, Rogério Galloro, sobre o domingo em que o partido tentou soltar o ex-presidente Lula com uma liminar expedida por um juiz plantonista do TRF4.

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Galloro disse que Lula iria ser solto, mas a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, ligou e estava protocolando no STJ contra a soltura.

Ainda, segundo ele, o presidente do TRF4, desembargador Thompson Flores, ligou pedindo para não soltar.

Os petistas prometeram entrar com uma representação no STF pedindo a suspensão da procuradora Raquel Dodge.

Já no Conselho Nacional de Justiça vão representar contra os desembargadores do TRF4 Thompson Flores e João Pedro Gebran Neto e o juiz Sérgio Moro, que também expediu liminar para que Lula continuasse preso.

“O que assistimos nessa entrevista foi uma espécie de confissão pública de conjunto de crimes cometidos por altas autoridades do Judiciário e MPF. Diante da gravidade, vamos entrar com série de representações”, garantiu o líder do PT na Câmara, deputado Paulo Pimenta.

Em nota, o TRF4, que condenou Lula em segunda instância, diz que o presidente do Tribunal Thompson Flores “informou à autoridade competente que despacharia nos minutos subsequentes, sem, em momento algum, dar alguma ordem por telefone”.

O TRF4 também negou uma fala atribuída ao desembargador Gebran Neto de que ele teria “ignorado a letra fria da lei ao dar decisão contrária à soltura de Lula”.

*Informações do repórter Levy Guimarães