Líderes partidários pedem instalação de CPI para investigar delações premiadas

  • Por Jovem Pan
  • 31/05/2018 08h26 - Atualizado em 31/05/2018 08h53
hyago Marcel/Câmara dos DeputadosLíder do PT, deputado Paulo Pimenta, esse seria o ponto inicial para investigar o que ele chama de “indústria da delação”

Líderes de alguns dos principais partidos entraram com pedido para instalar uma CPI na Câmara para investigar esquemas de venda de proteção em delações premiadas. Os alvos seriam advogados e delatores no âmbito da Operação Lava Jato e em investigações anteriores.

A articulação começou com parlamentares do PT. Líderes do MDB, PP, PR, PSD, PDT, PSB, PCdoB e PSOL também assinalaram e coletaram assinaturas de mais de 180 deputados. A CPI partiria das delações dos doleiros Vinícius Claret, o Juca Bala, e Cláudio de Souza.

Eles acusam o advogado Antônio Figueiredo Basto de cobrar uma “taxa de proteção” de US$ 50 mil mensais de outros integrantes do esquema entre 2005 e 2013. O dinheiro serviria para proteger outros participantes de futuras delações.

Basto é um dos maiores especialistas do País em colaborações premiadas. Em 2004, ele intermediou, por exemplo, a delação do doleiro Alberto Youssef no caso Banestado, a primeira do Brasil nos moldes atuais, e homologada pelo juiz Sérgio Moro.

Segundo o líder do PT, deputado Paulo Pimenta, esse seria o ponto inicial para investigar o que ele chama de “indústria da delação”. Para ele, é preciso investigar a possibilidade de alguém pagar para não ser delatado.

*Com informações do repórter Levy Guimarães