Lojas de rua estão se saindo melhor que as de shoppings na retomada

Os estabelecimentos tiveram retomada de 35 a 40% do volume de vendas antes da pandemia

  • Por Jovem Pan
  • 29/06/2020 06h35 - Atualizado em 29/06/2020 08h22
SUAMY BEYDOUN/AGIF - AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDOAs vendas das lojas em geral entre março e junho foram cerca de 90% a 95% menores do que no mesmo período do ano passado

Com a reabertura gradual do comércio na cidade de São Paulo, as lojas de rua estão se saindo um pouco melhor na recuperação das vendas. Números da Associação Brasileira dos Lojistas Satélites, a Ablos, que representa grandes marcas do mercado mostram a diferença.

Depois de duas semanas, os estabelecimentos que ficam fora dos shoppings tiveram uma retomada de 35 a 40% do volume de vendas antes da pandemia da Covid-19. Já nos shoppings, as vendas têm ficado entre 15 a 20% do que era registrado anteriormente; o que já era esperado, porque existe controle do fluxo de pessoas.

O dono da rede de lojas femininas MOB tem pontos de venda tanto dentro como fora dos centros de compras. O empresário Alvaro Campos, diz que mesmo com a reabertura, falta apoio por parte da prefeitura e do governo estadual. Segundo a Associação dos Lojistas, as vendas das lojas em geral entre março e junho foram cerca de 90% a 95% menores do que no mesmo período do ano passado.

No geral, os pequenos comerciantes foram os que mais sofreram e correntes em redes sociais foram criadas em alguns casos para ajudá-los. Como é o caso do Manolo, espanhol de 88 anos que tem uma loja de calçados na Barra Funda, a divulgação do local deu certo. Ele conta que também recebeu apoio dos fornecedores para não ter que fechar o comercio depois de 3 meses sem vender uma peça sequer.

A Associação Brasileira dos Lojistas Satélites tem pleiteado junto a administradores dos shoppings que o valor do aluguel dos estabelecimentos seja proporcional ao faturamento.

*Com informações do repórter Victor Moraes