Lula promete reajustar a tabela do imposto de renda caso vença as eleições

Ex-presidente afirmou que ‘aprendeu a ganhar eleições’ e voltou a se opor ao teto de gastos e à reforma trabalhista; vídeos em que o petista aparece pedindo votos terão de ser retirados do ar

  • Por Jovem Pan
  • 06/08/2022 09h12 - Atualizado em 07/08/2022 09h41
EVARISTO SA / AFP lula ucrânia russia Vídeos em que o ex-presidente Lula (PT) ataca o presidente Jair Bolsonaro (PL) devem ser retirados do ar

Em evento com apoiadores em São Paulo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) prometeu corrigir a tabela do imposto de renda caso volte ao poder. A fala ocorreu durante participação do lançamento ‘Quatro Décadas com Lula: O Poder de Andar Junto’, na última sexta-feira, 6. O candidato petista sugeriu aos participantes, caso fossem beneficiários do Auxílio Brasil, que usassem o dinheiro para comprar a obra. “Sei que pode ter gente que não tem dinheiro, mas como o Bolsonaro está afim de disputar as eleições e ele quer ganhar, ele distribuiu R$ 600, agora. Ele vai distribuir dinheiro para taxista e motorista. Então por favor, se não tem dinheiro agora, compre o livro, receba o salário emergencial e você paga o livro comprado”, disse. Lula repetiu, ainda, uma promessa do presidente Jair Bolsonaro de corrigir a tabela do imposto de renda caso vença as eleições. “Isso e o inferno aos nossos adversários. Ele sabe que eu aprendi a ganhar. Eu perdi três, mas depois que a gente aprendeu a ganhar, a gente ganhou em 2002, ganhamos em 2006, ganhamos em 2010, ganhamos em 2014 e não ganhamos em 2018 por conta da roubalheira das fake news nesse país. Mas agora nós vamos nos redimir e ganhar outra vez essas eleições e, humildemente, a classe trabalhadora vai voltar a dirigir esse país”, disse.

O candidato petista argumentou, também, que o Brasil vive situação pior do que quando virou presidente em 2003 e voltou a criticar a reforma trabalhista, aprovada durante o governo Temer. “A irresponsabilidade de quem governa é muito grande. Criaram um tal de teto de gastos e muita gente acreditou que era por responsabilidade, para não gastar muito. Quando eles criaram um teto para garantir a parte dos banqueiros e a parte dos trabalhadores, eles g astaram”, disse. Ao citar sua sucessora, Dilma Rousseff, Lula acenou ao eleitorado feminino. “Eu tenho sorte com as mulheres que trabalharam comigo. Quando era presidente, Dilma era ministra da Casa-Civil; nossa companheira Mirian Belchior era minha assessora; a Tereza Campelo era assessora; a Graça Forte era assessora”, lembrou. Ainda na sexta-feira, uma ministra do Tribunal Superior Eleitoral ordenou que as redes sociais retirem do ar, em 24 horas, trechos de vídeos em que o ex-presidente aparece pedindo votos. A decisão atende a um pedido do PDT que acusa o petista de campanha antecipada durante ato com aliados no Piauí. Pela legislação eleitoral, a campanha terá inicio somente no dia 16.

*Com informações do repórter Victor Hugo Salina