Maduro acusa Bolsonaro de incitar conflito armado com a Venezuela

  • Por Jovem Pan
  • 15/02/2020 08h58
EFE/ Rayner PeñaNesta sexta-feira (14), Maduro chamou Bolsonaro de "fascista" e disse que ele "está por trás das ameaças terroristas contra a Venezuela

O ditador Nicolás Maduro disse que o presidente Jair Bolsonaro está “arrastando” o Brasil para um conflito armado contra a Venezuela. O chavista também afirmou que o governo brasileiro está “protegendo um grupo de terroristas que atacou uma sede militar venezuelana”.

Maduro fez referência a um episódio em que desertores do regime chavista assaltaram um destacamento das Forças Armadas venezuelanas. O ataque ocorreu no dia 22 de dezembro do ano passado no estado de Bolívar, na fronteira com o Brasil.

Na ocasião, um homem foi morto e rifles e lança-foguetes foram levados. O grupo, que teria tido ajuda de indígenas, também atacou duas delegacias, onde roubou mais armas. Seis soldados foram presos na Venezuela, e outros cinco solicitaram refúgio no Brasil.

O regime chavista acusa, sem apresentar provas, o governo brasileiro de participação no episódio e, desde então, pede a extradição dos que pediram asilo. O Ministério das Relações Exteriores nega que o Brasil tenha qualquer participação no episódio.

Na época, o Itamaraty disse que não tem “satisfações a prestar ao regime ilegítimo [de Maduro] sobre a presença de nacionais venezuelanos em território nacional”.

Nesta sexta-feira (14), Maduro chamou Bolsonaro de “fascista” e disse que ele “está por trás das ameaças terroristas contra a Venezuela, embora os militares brasileiros não se prestem a isso”. Em Caracas, o ditador ainda anunciou que, neste fim de semana, serão realizados exercícios militares.

Maduro disse que “terroristas no território brasileiro” estão preparando ataques e incursões militares contra a Venezuela e que o país tem o direito de se preparar.

*Com informações do repórter Afonso Marangoni