Maia cobra empenho de líder do governo na Câmara após adiar cabotagem

Texto foi enviado pelo governo com urgência constitucional, o que dá prioridade ao projeto

  • Por Jovem Pan
  • 03/12/2020 06h18
Frederico Brasil/Estadão ConteúdoNesta quinta-feira, 3, a Câmara deve votar a medida provisória que cria o programa Casa Verde e Amarela

A Câmara mais uma vez não conseguiu votar o projeto de incentivo à cabotagem, que é o transporte entre portos de um mesmo país. Conhecido como BR do Mar, o texto foi enviado pelo governo com urgência constitucional, o que dá prioridade ao projeto na pauta de votações. O objetivo da matéria é simplificar o frete de navios internacionais para aumentar a frota que navega internamente no Brasil. O governo federal estima que, com a proposta, o número de contêineres transportados no país aumente de 1,2 milhão para 2 milhões nos próximos três anos. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, chegou a pautar o texto nesta quarta-feira, 2, mas reclamou da ausência, no plenário, do líder do governo, deputado Ricardo Barros, e alegou que faltou organização para colocar em votação.

Já faz dois meses que a BR do Mar tranca a pauta da Câmara, que pouco avançou no período eleitoral. Outros impasses, como a disputa pelo comando da Comissão Mista de Orçamento, têm travado o andamento das votações. Além disso, os deputados começam a se voltar para a eleição à presidência da Casa, que será em fevereiro. A deputada Adriana Ventura, do Novo, criticou a situação. Nesta quinta-feira, 3, a Câmara deve votar a medida provisória que cria o programa Casa Verde e Amarela, que financia a construção de residências para famílias com rendimento de até R$ 7 mil mensais em área urbana e R$ 84 mil anuais em área rural. A MP é o único item da pauta e também vem sendo apontada pelo governo como uma das prioridades para o fim de ano.

*Com informações do repórter Levy Guimarães