Maia diz que Bolsonaro quer transformar Congresso em ‘puxadinho’

Presidente da República admitiu que pretende ‘influir’ na eleição para a presidência da Câmara

  • Por Jovem Pan
  • 28/01/2021 08h00
Frederico Brasil/Estadão ConteúdoNesta quarta-feira, o candidato Arthur Lira se reuniu com a ala mais bolsonarista do PSL

O presidente Jair Bolsonaro admitiu que pretende “influir” na eleição para a Presidência da Câmara, marcada para a próxima segunda-feira, 1º. A declaração foi feita a apoiadores, no Palácio da Alvorada, após um café da manhã com deputados do PSL. Segundo o presidente, 30 parlamentares do partido estiveram presentes. Ao lado da deputada Carla Zambelli, ele disse que quer “participar, influir na presidência da Câmara com esses parlamentares” de modo a ter um relacionamento pacífico e produtivo. Bolsonaro apoia a candidatura de Arthur Lira (PP).

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, comentou a fala do chefe do Executivo. Para ele, Bolsonaro quer tirar a independência do parlamento. “É um alerta aos deputados e deputadas que a intenção do presidente é transformar o parlamento em um anexo do Palácio do Planalto. Isso enfraquece o mandato de cada deputado e deputada, principalmente o protagonismo da Câmara nos debates com a com a sociedade.” Rodrigo Maia também acusa o governo de ter prometido R$ 20 bilhões em emendas para conquistar votos a favor de Arthur Lira. “Pelo o que eu já vi que o governo está prometendo junto ao seu candidato vai dar, pelo menos. uns R$ 20 bilhões de emendas extra orçamentárias. Quero saber em que orçamento para o ano de 2021. que eles poderão cumprir, se vitoriosos, essa promessa.”

Nesta quarta-feira, Arthur Lira se reuniu com a ala mais bolsonarista do PSL. Segundo o deputado Vitor Hugo, além da pauta econômica, foram discutidos temas como a posse e o porte de armas de fogo, homeschooling e exploração de terras indígenas. O parlamentar crê que o apoio a Lira pode aumentar dentro e fora do partido. “Temos a expectativa de que vamos crescer muito mais aí. A gente imagina que podemos chegar no PSL até 50 votos.” Ao mesmo tempo, o PSL negocia com Arthur Lira um cargo na Mesa Diretora da Câmara caso ele saia vitorioso da eleição. Como no momento é o maior partido que compõe o bloco, a princípio o PSL tem direito ao primeiro cargo que Lira teria direito a escolher entre as vice-presidências e secretarias. Os deputados aguardam uma possível expansão do bloco.

*Com informações do repórter Levy Guimarães