Maia diz que DEM não faz parte do governo de transição de Bolsonaro

  • Por Jovem Pan
  • 23/11/2018 07h28
Jane de Araújo/Agência SenadoMaia afirmou que o partido não faz parte do governo de transição e que os futuros ministros não são indicação da legenda

Nessa quinta-feira (22) o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, mais uma vez procurou se desvincular dos três filiados do DEM que foram nomeados a ministérios para o Governo Bolsonaro.

A forte presença do DEM no executivo de Bolsonaro incomoda partidos do centrão que reclamam a preferência e ameaçam não apoiar a reeleição de Rodrigo Maia. O atual presidente da Casa esteve em um almoço com membros da Associação Brasileira de Relações Institucionais e Governamentais.

O presidente da Câmara concedeu entrevista coletiva logo após o evento, que foi fechado para a imprensa. Questionado se as escolhas de filiados ao DEM para os ministérios de Bolsonaro prejudicam sua candidatura a reeleição da Câmara, Maia afirmou que o partido não faz parte do governo de transição e que os futuros ministros não são indicação da legenda.

Perguntado sobre a possibilidade de se reeleger para a Presidência da Câmara, Maia respondeu que ainda não é candidato. No entanto, segundo convidados do evento, Rodrigo Maia pediu votos durante o almoço, dizendo aos presentes para indicarem seu nome aos deputados que conhecessem.

O deputado ainda declarou que securitização das dívidas dos Estados será a votação mais importante na próxima semana. O projeto de securitização permitiria que a União, Estados e municípios transformassem suas dívidas em títulos de crédito para venda no mercado.

*Informações da repórter Victoria Abel