Maia marca reunião sobre incêndio no Museu Nacional e é acusado de oportunismo pela oposição

  • Por Jovem Pan
  • 05/09/2018 06h49
Antonio Cruz/Agência BrasilO presidente da Câmara rebateu as críticas: “todos estão trabalhando para colaborar e ajudar. Não é reunião minha, é uma reunião de toda bancada do Rio"

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, se reuniu com deputados do Rio de Janeiro e o reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Roberto Leher, para tratar do incêndio no Museu Nacional.

A tragédia destruiu grande parte do acervo do museu, entre eles peças históricas como Luzia, esqueleto mais antigo já encontrado nas Américas.

O prédio de três andares fica localizado na Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, na zona norte do Rio.

Rodrigo Maia foi acusado por opositores de oportunismo ao agendar o encontro para tratar do Museu Nacional. Isso devido ao fato de que ele é candidato à reeleição como deputado federal do Rio.

O presidente da Câmara rebateu as críticas: “todos estão trabalhando para colaborar e ajudar. Não é reunião minha, é uma reunião de toda bancada do Rio. Todos vão poder colaborar naquilo que couber ao Poder Legislativo”.

Após a reunião, Maia afirmou que foram sugeridas algumas ideias pela bancada carioca para amenizar o desastre que ocorreu no Museu: “tem ideia de comissão com órgãos de fiscalização de equipamentos públicos, coisa mais ampla para se avaliar de forma permanente as condições de museus no Brasil”.

Após a reunião na Câmara, Rodrigo Maia e o reitor da UFRJ, Roberto Leher, foram ao Palácio do Planalto para uma reunião com o presidente Michel Temer e os ministros da Educação, Rossieli Soares, e da Cultura, Sérgio Sá Leitão, para tratar sobre o desastre.

*Informações do repórter Arthur Scotti