Maia promete ‘avaliar com calma’ instalação de CPI da Lava Jato

  • Por Jovem Pan
  • 19/09/2019 06h27
Marcelo Camargo/Agência BrasilEle defendeu a harmonia entre poderes e disse que é preciso ter cuidado com as CPIs

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), mostrou cautela com o pedido de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar a conduta do então juiz e hoje ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e dos procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato.

No final da semana passada, deputados de oposição coletaram as 171 assinaturas necessárias para criar a comissão. Agora, fica a cargo de Maia decidir se pede a instalação ou o arquivamento do pedido.

O deputado afirma que vai analisar se existe um fato concreto que justifique a criação da CPI. “Nós vamos avaliar com calma. Não tem pressa. Eu tenho, ainda, que avaliar, se há fato determinado ou não. Se há, eu vou instalar, se não, não. Mas tudo com muito cuidado, esse é um tema muito sensível. Nós nunca podemos interferir, numa CPI, no trabalho de um juiz, de um procurador”, explicou.

Maia comparou o movimento pela CPI da Lava Jato à tentativa de instalação da CPI da Lava Toga, pelo Senado Federal, que busca investigar eventuais condutas irregulares de ministros dos Tribunais Superiores. Após recolher por três vezes as assinaturas necessárias, os senadores não conseguiram convencer o presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), a pedir a instalação.

Na visão de Maia, ambas as CPIs, caso não possuam um objeto bem definido, serviriam para criar instabilidade entre o Poder Legislativo e o Judiciário. “O que a gente precisa é de harmonia, de equilíbrio. E essas CPIs, se o fato determinado não tiver muito bem explicado, nós estaremos gerando mais problemas, mais desequilíbrio entre os poderes, mais distância do que harmonia, que é o que a gente precisa ter no Brasil de hoje, com os poderes conversando.”

A líder do governo no Congresso, deputada Joice Hasselmann, vai ao Supremo Tribunal Federal (STF) buscando anular assinaturas de apoio à CPI da Lava Jato. Segundo ela, mais de 20 deputados se disseram ludibriados ao assinar, pois teriam sido enganados quanto ao real objetivo da comissão. A oposição nega que tenha havido qualquer ilegalidade e afirma que nenhum deputado se manifestou até o pedido de CPI ser protocolado.

*Com informações do repórter Levy Guimarães