Maior “imobiliária” do Brasil, União tem 99 prédios desocupados

  • Por Jovem Pan
  • 02/05/2018 07h26 - Atualizado em 02/05/2018 07h28
EFE/Sebastião MoreiraBombeiros fazem buscas em destroços de prédio que pertencia à União e chegou a abrigar a sede da Polícia Federal em São Paulo

O prédio que pegou fogo e desabou em São Paulo pertence à maior “imobiliária” do Brasil: a União.

O governo gasta mais de R$ 2 bilhões por ano com pagamento de aluguel e mantem imóveis em todos os Estados, sem uso, invadidos, ou mesmo alugados.

O custo é alto e a União tem 97 prédios comerciais desocupados por aqui e pelo menos dois no exterior.

Para orientar esta confusão cara, uma estrutura pesada foi montada, com empregos, salários e custos.

A Secretaria Nacional de Imóveis da União tem 30 cargos indicados para diretorias, que, por sua vez, têm os chefes de gabinete, assessores e prerrogativas.

Nos Estados, as superintendências regionais contam com estruturas também indicadas pelos partidos políticos. Na superintendência de São Paulo, está à frente o ex-deputado Robson Tuma, filho do ex-senador Romeu Tuma.

A representação, que fica na Av. Prestes Maia, na Luz, centro de São Paulo, ainda tem outra unidade em Santos, no litoral paulista.

Não é por falta de funcionários ou estrutura que os imóveis da imobiliária chamada União estão abandonados ou invadidos.

As informações são do repórter José Maria Trindade, de Brasília.