Mais da metade dos boletins de ocorrência durante Carnaval em SP foram por furto e roubo de celulares

  • Por Jovem Pan
  • 20/02/2018 06h51
ReproduçãoEm um cenário onde qualquer pessoa se torna alvo para os bandidos, todo o esforço para não fazer parte dessas estatísticas é válido

O Carnaval de Rua deste ano já entrou para a história de São Paulo. De acordo com a Prefeitura, 12 milhões de pessoas passaram pela capital paulista entre os dias 3 e 18 de fevereiro.

Os dados municipais mostram que o evento é o maior já realizado na cidade.

Segundo o Secretário das Prefeituras Regionais, Claudio Carvalho, a festa em 2019 será ainda maior. Ele destacou o planejamento feito neste ano pela Prefeitura e também elogiou o comportamento dos foliões.

Mas nem tudo é motivo de festa. Acompanhado dessa marca histórica ressurge um antigo problema da cidade: o roubo e furto de celulares.

Os dados mais recentes da Secretaria de Segurança Pública mostram que 3.537 boletins de ocorrência foram feitos no período de Carnaval. Desse total, 1.935 são relacionados a roubo e furto de celulares.

O delegado da Primeira Seccional Centro de São Paulo, Marco Antonio Paula Santos, disse que esse número é semelhante aos casos registrados em 2017.

O delegado ainda explicou o porquê o celular é um objeto tão visado pelos bandidos.

O especialista em segurança, Sergio Ehrlich, deu algumas dicas do que fazer para evitar roubo ou furto de celular e aconselhou não atender o celular em lugares movimentados.

Em um cenário onde qualquer pessoa se torna alvo para os bandidos, todo o esforço para não fazer parte dessas estatísticas é válido.

*Informações do repórter Vinicius Custódio