Mais de dois mil venezuelanos foram presos por questões políticas em 2019, aponta ONG

Os dados são da ONG venezuelana Foro Penal

  • Por Jovem Pan
  • 08/05/2019 07h09 - Atualizado em 08/05/2019 10h26
EFE / Eduardo OyanaO diretor da organização, Alfredo Romero, diz que 800 pessoas continuam presas

De janeiro a maio deste ano, mais de duas mil pessoas foram presas pelo regime de Nicolás Maduro por razões políticas. De acordo com dados divulgados nesta terça-feira (07) pela ONG venezuelana Foro Penal, a maioria das detenções ocorreu durante protestos contra o governo chavista.

O diretor da organização, Alfredo Romero, diz que 800 pessoas continuam presas, incluindo militares considerados desertores. Ele ainda destacou que os “desaparecimentos forçados” são sistemáticos.

Alfredo Romero afirmou ainda que cerca de 40 pessoas foram feridas à bala desde o início do ano e que, na última semana, ao menos quatro crianças foram assassinadas.

Nesta terça-feira, os Estados Unidos suspenderam “com efeito imediato” as sanções econômicas que tinham sido impostas contra o ex-chefe de inteligência da Venezuela, Christopher Figuera. A decisão ocorreu após o militar ter apoiado, na semana passada, uma revolta contra o regime de Nicolás Maduro.

Segundo o vice-presidente norte-americano, Mike Pence, Washington espera que a deserção do general inspire outros oficiais a quebrar os laços com o chavismo.

*Informações do repórter Afonso Marangoni