Mansueto aposta em adesão de parlamentares pela reforma administrativa

  • Por Jovem Pan
  • 18/10/2019 07h08
Marcelo Camargo/Agência BrasilMansueto avalia que a reforma tributária é uma discussão complexa que demandaria mais tempo para o Congresso entrar em acordo

O secretário do Tesouro do Ministério da Economia, Mansueto Almeida, afirmou nesta quinta-feira (17) que existe mais consenso em torno da reforma administrativa do que da tributária no Congresso Nacional.

Segundo o secretário, a proposta do Governo que altera normas do serviço público está bem adiantada e deve ser enviada aos parlamentares ainda neste mês.

Em evento em São Paulo, Mansueto disse que o clima no Congresso é propício para as mudanças. “Eu acho que tem um ambiente muito positivo. Pelo o que a gente está vendo, discussão de salário,de regras de aumento salarial. A última grande reforma administrativa que teve foi na década de 90. Hoje temos muitas regras que atrapalham o bom servidor público e que seria necessário discutir.”

O secretário do Tesouro, Mansueto Almeida, sinalizou que a ideia é rever as regras para progressão de carreira e aumento salarial dos servidores. “Se você entra  no serviço público com 22, 23 anos, aos 34 você está no final da sua carreira. Isso não faz sentido.”

Mansueto Almeida avalia que a reforma tributária é uma discussão complexa que demandaria mais tempo para o Congresso e o setor produtivo entrarem em acordo.

O secretário do Tesouro ainda disse que o governo não tem outra alternativa à criação de um imposto sobre transações financeiras para compensar uma possível desoneração da folha de pagamentos.

A nova CPMF fazia parte da reforma tributária que seria apresentada pelo governo Bolsonaro, mas foi descartada após resistência do Congresso e do próprio presidente.

*Com informações da repórter Victoria Abel