Marina Silva crê que “não vale tudo para ganhar” e dispara contra eleição de 2014: “foi fraude”

  • Por Jovem Pan
  • 07/06/2018 11h27 - Atualizado em 07/06/2018 11h27
EFE/Sebastião Moreira"Não era debate político, era fraude política. Foi uma fraude a eleição de 2014", disse

Na expectativa de se sair melhor que em eleições anteriores, a pré-candidata à Presidência pela Rede, Marina Silva, possui ao menos um “mantra”: não vale qualquer coisa para se ganhar.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, a ambientalista, que disputa a eleição presidencial pela terceira vez, foi clara ao dizer que “não vale tudo para se ganhar eleição” e aproveitou para colocar em xeque a disputa de 2014: “foi fraude”.

“A forma que a gente ganha determina como a gente governa. Se a gente ganha com ódio, vai governar com ódio, se ganha mentindo, vai governar mentindo, se ganha roubando, vai governar roubando”, citou. “Eu quero ganhar, mas ganhar ganhando. Aquilo que você não construiu no processo não tem como construir depois. Desde 2010 estou dizendo, se eu ganhar, quero governar com os melhores da sociedade, dos empresários, dos trabalhadores, dos movimentos sociais e dos partidos”, acrescentou.

Há quatro anos, com pouco mais de dois minutos de propaganda, como ela mesma gosta de ressaltar, e enfrentando os 12 minutos de campanha na TV de Dilma Rousseff, o nome da Rede foi direto: “com marqueteiro pago a peso de ouro, dinheiro roubado, você acha que tinha como eu responder à altura? Aquilo era uma covardia, não era debate político, era fraude política. Foi uma fraude a eleição de 2014!”.

Como se destacar dos demais candidatos?

Para Marina, não é atacando os demais candidatos que se obtém êxito. “Eu tenho uma concepção de justiça. Ela não é vingança, é reparação”, disse sobre casos como Lula, Aécio Neves, Renana Calheiros, José Sarney e demais envolvidos em casos como mensalão e petrolão. “Não cabe ficar tripudiando preso”.

Ao ser questionada se estaria preparada para enfrentar uma ofensiva ainda maior de seus oponentes políticos, Marina rebateu e disse que antes a maioria dos eleitores não contavam com as informações que possuem hoje.

“A grande dificuldade é que hoje, nas pessoas sabendo da verdade, o que elas vão fazer com essas verdades. Agora as pessoas sabem quem é quem no jogo do bicho por causa da Lava Jato. Quem são os envolvidos do PSDB, PT, DEM e seus satélites (…) Não vou ter atitude de ficar rotulando Alckmin, Bolsonaro, Ciro Gomes, quem quer que seja, porque a pior coisa é quando você trabalha com rótulo e não mérito das coisas”, ressaltou.

Confira a entrevista completa com a pré-candidata à Presidência pela Rede, Marina Silva: