Mauro Carlesse toma posse como governador de TO após eleição com recorde de abstenções

  • Por Jovem Pan
  • 10/07/2018 06h28 - Atualizado em 10/07/2018 09h20
Reprodução/FacebookOs votos brancos e nulos e os eleitores que não compareceram para votar somaram 51,83% do total, ou seja: mais de 527 mil pessoas

Mauro Carlesse tomou posse como governador do Tocantins nesta segunda-feira (09) em um mandato-tampão até 31 de dezembro.

A eleição foi convocada após a cassação do ex-governador Marcelo Miranda (MDB) e da vice Cláudia Lelis (PV), considerados culpados pelo TSE por captação ilegal de recursos para a campanha de 2014. A campanha foi marcada por altos índices de abstenção.

Os votos brancos e nulos e os eleitores que não compareceram para votar somaram 51,83% do total, ou seja: mais de 527 mil pessoas não optaram por nenhum dos candidatos.

Ainda na campanha, Carlesse foi alvo de uma operação da Polícia Federal que apreendeu documentos no Palácio Araguaia e em secretarias por conta de denúncia de irregularidades na liberação de emendas parlamentares por parte do governo.

Todas as acusações foram negadas pelo governador.

Mauro Carlesse, na cerimônia na porta do Palácio disse que está no cargo para trabalhar por Tocantins, citando até mesmo uma frase de efeito muito usada pelo ex-presidente Lula, condenado e preso por lavagem de dinheiro e corrupção passiva: “dissemos ao povo ‘o que pode ser feito é o que estamos fazendo’, e digo mais uma coisa ‘deixa o homem trabalhar’”.

Depois da cerimônia de posse na Assembleia Legislativa, Carlesse anunciou as primeiras mudanças de seu governo. Demissões não serão feitas por conta da proibição pela lei eleitoral, mas há garantia de diminuição do número de secretarias para reduzir despesas de governo.

Outro problema que Carlesse terá de resolver é sobre o concurso da Polícia Militar, realizado em março, e que está suspenso desde que assumiu o governo interinamente. Segundo o governador, ainda é necessário esperar decisão da justiça, mas é necessário incrementar o quadro de policiais do Estado.

*Informações do repórter Fernando Martins