Mega da Virada pode pagar maior prêmio da história nesta sexta-feira; veja valor

Apostas podem ser feitas até a tarde da sexta-feira, 31, e prêmio será sorteado no mesmo dia; alta remuneração faz com que até quem não aposta invista em uma ‘fezinha’

  • Por Jovem Pan
  • 28/12/2021 07h18 - Atualizado em 28/12/2021 09h28
Reprodução/ Agência Brasil Jogo da Mega-Sena Mega da Virada pode pagar maior prêmio da história

Para quem está com dívidas – situação comum a muitos brasileiros – o prêmio da Mega da Virada seria uma boa solução. Em 2020, a Caixa Econômica Federal deve pagar R$ 350 milhões, maior prêmio da história, o que faz com que até quem não é apostador frequente tente a sorte em seis números. “Eu faço assim, um jogo uma vez ou outra, não é de costume. E eu fico assim: ‘Meu Deus, olha para mim, eu mereço ganhar, eu mereço gastar, comprar tudo o que eu tenho vontade e não tenho”, afirmou a cuidadora Ivonete Santos da Silva. Além de Ivonete, a comerciante Paloma Silva também consegue listar o que faria com o dinheiro. “Eu ajudaria a minha família, né? Em primeiro lugar é a família”, pontuou. O autônomo Marcelo Jobran diz que com tanto dinheiro no bolso, pode até mudar de ideia. “Eu preciso ganhar primeiro, daí a cabeça muda. Agora é uma coisa, mas depois que eu ganhar é outra coisa”, brincou. O sorteio do prêmio ocorre na próxima sexta-feira, 31, às 20h. As apostas podem ser feitas até as 17h do mesmo dia.

Para muitos brasileiros, o sonho da Mega é a chance de limpar o nome e conseguir estruturar a vida financeira. Segundo um levantamento da Confederação Nacional do Comércio, Bens, Serviços e Turismo, 12 milhões de famílias brasileiras têm alguma dívida, seja no cartão de crédito, crédito consignado, cheque especial ou carnê de loja. Das famílias endividadas, mais de 25% dizem que já têm alguma conta em atraso e 10% relatam que não terão como quitar as dívidas. O especialista e sócio da Valor Investimentos, Davi Lelis, observa que a ajuda de um profissional é importante para direcionar bem o dinheiro e lembra que é possível conseguir boas rentabilidades, acima da poupança, mesmo não assumindo muitos riscos. “A primeira coisa que as pessoas pensam e falam é ‘se isso estivesse na poupança, quanto renderia?’. Isso é um clássico. E é aí que a gente vê que a mentalidade do brasileiro ainda tem que mudar muito em relação aos investimentos. Se a gente vai lá e aplica em um CDB de 115% de CDI, isso renderia em torno de R$ 3,3 milhões por mês; um CDB atrelado à inflação renderia em torno de R$ 3,680 mil. Ele recomenda ainda diversificar os investimentos e diz que no cenário de hoje, o aumento da Selic, taxa básica de juros, beneficia quem tem aplicações atreladas à Selic. Para 2022, o número deve seguir subindo. “Os especialistas estão precificando que os juros vão sair de 9,25, podendo chegar na casa dos 11%, 12% ainda em 2022 e precifica-se que já em 2022 ele acabe caindo um pouquinho antes do final do ano, e deva fechar em torno de 10%, 11%, a depender da inflação”, afirmou. Para quem quer apostar em ações, a dica é tomar cuidados com empresas mais sujeitas a decisões políticas, ainda mais em ano de eleições.

*Com informações da repórter Carolina Abelin