Membros da CMO querem rever vetos de Temer à LDO para aprovar rombo da meta

  • Por Jovem Pan
  • 17/08/2017 06h28
O presidente da CMO, onde será avaliado em primeiro lugar o projeto de mudança da meta, o senador Dário Berger (PMDB-SC), confirmou que a insatisfação está aberta

Integrantes da Comissão Mista de Orçamento do Congresso resistem à aprovação da mudança de meta do déficit para R$159 bilhões. A resistência tem como origem a insatisfação de deputados governistas que não gostaram dos vetos de Temer à LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias).

Um grupo foi formado para discutir com a equipe econômica a derrubada de pelo menos parte dos vetos à LDO.

O deputado Marcos Pestana (PSDB-MG) será o relator desta negociação e deve ser também o relator do projeto que muda a meta fiscal.

O presidente da CMO, onde será avaliado em primeiro lugar o projeto de mudança da meta, o senador Dário Berger (PMDB-SC), confirmou que a insatisfação está aberta: “Governo participou do entendimento e do acordo e depois ele vetou o acordo pelo qual ele mesmo participou. Isso que gerou desconforto e revolta e insatisfação dos membros da comissão”.

O líder do PR, deputado José Rocha, disse que nada é aprovado automaticamente no Congresso e as resistências terão de ser avaliadas: “são medidas amargas, mas necessárias. Acho que a gente vai ter um ambiente não de céu de brigadeiro, mas de muita discussão e debates”.

O vice-líder do Governo, deputado Beto Mansur, reconheceu que as dificuldades foram criadas, mas garantiu que vai negociar a aprovação da nova meta: “Governo está fazendo sua lição de casa e, lógico, o Congresso Nacional tem cabeça no lugar e vai aprovar aquilo que for melhor para o Brasil”.

Líderes dizem que o Governo não negociou no Congresso sobre a mudança da meta de déficit, mas ficou claro que a base governista desabou. Temer terá agora que negociar, projeto a projeto, com deputados e senadores.

*Informações do repórter José Maria Trindade