Mendes: Reajuste do STF não aumenta despesas se condicionado ao fim do auxílio-moradia e penduricalhos

  • Por Jovem Pan
  • 13/11/2018 06h29
Flavio Corvello/Estadão ConteúdoTambém haveria a queda do auxílio-moradia e de outros penduricalhos. Essa foi a orientação e acho que essa será a orientação seguida. O fato é que não haverá aumento de despesa”, disse

O ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes afirmou nessa segunda-feira (12), que o reajuste salarial do judiciário não traria prejuízos às contas públicas, se condicionado ao fim do auxílio-moradia.

Gilmar Mendes lançou seu novo livro “Comentários à Constituição Brasileira” em uma livraria na zona oeste de São Paulo. “Também haveria a queda do auxílio-moradia e de outros penduricalhos. Essa foi a orientação e acho que essa será a orientação seguida. O fato é que não haverá aumento de despesa”, disse.

O ministro ainda reforçou que o reajuste está em alinhamento com a PEC 95 que limita gastos do Governo.

Gilmar Mendes elogiou a integração entre áreas do Ministério da Justiça e da Segurança Pública e disse que o juiz Sérgio Moro tem preparo suficiente para assumir responsabilidades do futuro superministério.

Questionado sobre como seria a convivência com Moro, no caso de uma possível nomeação do magistrado ao STF, o ministro afirmou que tem uma boa relação com o juiz e até mesmo já escreveu uma homenagem a ele.

O evento de lançamento do livro contou com a presença se alguns novos da magistratura, além dos políticos Geraldo Alckmin, José Serra e Gilberto Kassab.

*Informações da repórter Victoria Abel