Mensalidades escolares em São Paulo devem subir até 7% no próximo ano letivo

  • Por Jovem Pan
  • 10/12/2018 07h08
Marcos Santos/USP ImagensO ajuste leva em consideração a inflação, gastos com investimentos e o aumento dos salários dos professores

A partir de 2019, as mensalidades escolares no Estado de São Paulo serão reajustadas. O aumento varia de acordo com o padrão de cada escola.

De acordo com o Sindicato dos Estabelecimentos do Ensino no Estado de São Paulo, o ajuste leva em consideração a inflação, gastos com investimentos e o aumento dos salários dos professores.

O empresário Luiz Paulo Moura, que tem um filho matriculado no colégio Sion, localizado no centro da capital, reconheceu que o reajuste é necessário e afirmou que considera eventuais aumentos no orçamento familiar: “eu acho que deve ocorrer porque houve varias mudanças de valores ao longo do ano e isso deve ser repassado. E não impacta no orçamento familiar, porque a gente está prevendo todo ano”.

O reajuste vai variar entre 5 e 7%, de acordo com a planilha de custos de cada escola. A enfermeira Daniele Cassiano, mãe do Hernan, discordou do reajuste e diz que vai impactar negativamente no orçamento familiar: “pagamos a rematrícula, mês de janeiro, que as crianças não estudam, e o mês de fevereiro. Vai comprometer a renda”.

Por meio de nota, o presidente do Sindicato explicou que não estipula os índices de majoração. Benjamin Ribeiro da Silva afirmou que o Siesp tem recomendado às mantenedoras das Escolas que mantenham planilhas distintas para ensino infantil, fundamental e médio.

*Informações da repórter Nanny Cox