Mesmo com impasse, Alessandro Molon reafirma candidatura ao Senado

Deputado federal afirmou que seu partido, o PSB, não realizou acordo com o PT para ceder a vaga ao Senado na chapa que integra a candidatura de Marcelo Freixo ao Palácio Guanabara

  • Por Jovem Pan
  • 06/08/2022 07h59 - Atualizado em 07/08/2022 09h38
Antônio Cruz / Agência Brasil Alessandro Molon Deputado Alessandro Molon (PSB-RJ) enfrenta resistência no Partido dos Trabalhadores e não terá o apoio da sigla em candidatura à reeleição

Apesar de muita polêmica e pressão, o deputado federal Alessandro Molon (PSB-RJ) ratificou na última sexta-feira, 6, a candidatura ao Senado Federal. Pressão proveniente de seu partido e de fora, especialmente do PT. Ambas as siglas estão unidas nas eleições do Rio de Janeiro, já que o Partido dos Trabalhadores se comprometeu com a candidatura de Marcelo Freixo (PSB) ao Palácio Guanabara e Freixo havia prometido um apoio ao deputado estadual André Ceciliano, do PT, na corrida ao Senado Federal. No entanto, Alessandro Molon afirmou que jamais tomou conhecimento ou foi informado da parceria ‘de boca’, já que não havia formalização ou assinatura do acordo. “Quero deixar claro que nunca ouve um acordo do PSB com o PT para que essa vaga fosse cedida para o PT ocupar a disputa ao Senado. Nunca fiz, nunca participei e nem autorizei acordo que permitisse que essa vaga fosse cedida ao Partido dos Trabalhadores”, informou Molon. Nos últimos dias, inclusive, lideranças do PT no Rio chegaram a cogitar a possibilidade de sair da candidatura de Freixo ao governo do Estado, mas isso foi contornado. O candidato petista é o presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), André Ceciliano. No entanto, o candidato está atrás nas pesquisas de intenção de voto na disputa contra Molon. Quem lidera as pesquisas é Romário (PL), que já é senador da República.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga