Mesmo com pandemia, indústria de bens de capital mostra força em 2020

Setor de Máquinas e Equipamentos finalizou 2020 com alta no emprego de 8% sobre o ano anterior

  • Por Jovem Pan
  • 28/01/2021 09h18
Governo de Santa Catarina/Divulgação/Agência BrasilO presidente da Abimaq, José Velloso, condiciona a retomada econômica as reformas

A indústria de Máquinas e Equipamentos, balizadora dos investimentos no país, registrou o melhor desempenho desde 2015 apesar da pandemia. O mercado interno cresceu 11%. Enquanto isso, o faturamento subiu 5% ao final de 2020 porque as exportações caíram 23%. O presidente da Abimaq, José Velloso, condiciona a retomada econômica às reformas. “Sem investimentos o Brasil não vai crescer e não vai gerar emprego. As prioridades para 2021 são combate à pandemia da Covid-19, vacinação em massa e combate a falta de competitividade dos setores produtivos brasileiros através do combate ao Custo Brasil. O Brasil precisa aprovar as reformas tributária, PEC emergencial e reforma administrativa.”

O gerente de Análise Econômica da Confederação Nacional da Indústria, Marcelo Azevedo, reforça a confiança dos empresários nesse início de ano. “Embora a confiança tenha caído nos setores, o ano de 2020 tinha se encerrado com confiança alta do empresário em todos os setores. Mesmo considerando quedas significativas na passagem do ano, mesmo nesses setores a confiança continua alta.” O setor de Máquinas e Equipamentos finalizou 2020 com alta no emprego de 8% sobre o ano anterior sem pandemia.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos