Metrô testa equipamento para aumentar autonomia das pessoas com deficiência visual

  • Por Jovem Pan
  • 07/02/2020 07h49
Willian Moreira/Estadão ConteúdoNovo sistema para deficientes visuais está sendo implantado em São Paulo

Câmeras inteligentes e um aparelho receptor que emitem sons e guia a pessoa com deficiência visual.  A estação Vergueiro, em São Paulo, instalou esses equipamentos que se conectam com celular do passageiro, facilitando a sua vida. O projeto chama “Siga Fácil” e ainda esta em fase de teste.

Para o presidente do Metro, Silvani Alves Pereira, alem de proporcionar mais autonomia aos cegos, a segurança deles também é muito importante. “O Siga Fácil é uma inovação, uma tecnologia que vai trazer segurança, comodidade e dar mais prazer para quem não enxerga, para que o cego consiga entrar com segurança, pegar o trem e andar no meio das pessoas. Você tem a possibilidade de usar o fone, assim o aparelho celular não fica visível. Estamos também desenvolvendo um protótipo, um óculos, que substitui o aparelho que coloca no peito, não precisa ter o equipamento.”

Para quem é deficiente visual, andar pelo Metrô de São Paulo não é uma coisa nada fácil. Só o piso tátil não resolve o problema do passageiro, que muitas vezes acaba perdido, principalmente quando o piso acaba e a pessoa tem que tomar a decisão de subir a escada rolante ou a pé. Com esse novo sistema, as câmeras vão ajudar o passageiro a encontrar a saída com mais facilidade.

Marcelo Rodrigues de Melo é deficiente visual desde os dois anos de idade, e agora vai poder se locomover pelo Metrô sem ajuda dos funcionários. “Esse sistema aí, como vai ser sonoro, deve melhorar e ajudar bem os deficientes. A gente tem ajuda dos funcionários, mas se houvesse ajuda deles, dependeria muito dos usuários, não tem local certo, não tem muita noção de onde estamos. Algumas estações são pequenas e tudo bem, mas a Sé, por exemplo, é grande. Eu tenho baixa visão e ajuda um pouco”.

Com a evolução dos testes na estação Vergueiro, o Metrô pretende ampliar os estudos para outras estações, considerando o perfil dos passageiros atendidos. A meta é que até o final de 2021 todas as estações do Metrô estejam mapeadas.

* Com informações do repórter Victor Moraes.