Michelle Bachelet se reúne com figuras importantes do regime chavista na Venezuela

  • Por Jovem Pan
  • 21/06/2019 08h06
ONU/Jean-Marc FerreA chefe do Alto Comissariado da ONU também deve fazer uma declaração à imprensa antes de deixar Caracas, que será a única coletiva da viagem

No segundo dia de visita à Venezuela, Michelle Bachelet se reuniu com figuras importantes do regime chavista. A chefe do Alto Comissariado da ONU para Direitos Humanos esteve com o ministro da Defesa, o general Vladimir Padrino López e o procurador-geral, Tarek William Saab.

Ela deve deixar o país na noite desta sexta-feira (21), depois de se encontrar com o presidente Nicolás Maduro e o líder da oposição, o autoproclamado presidente Juan Guaidó.

Nicolás Maduro deu as boas-vindas à comissária. “A visita da doutora Michelle Bachelet deve ser para que a Venezuela melhore. Bem-vinda”.

Nesta quinta-feira (20), diversas pessoas foram às ruas na tentativa de chamar a atenção da comissária da ONU para os Direitos Humanos. Os apelos se dividiram entre a libertação de presos políticos e a falta de alimentos e remédios.

De acordo com a ONU, 22% das crianças com menos de 5 anos sofrem desnutrição e 300 mil doentes estão em risco por falta de medicamentos.

O presidente da ONG Foro Penal, Alfredo Romero, pediu Bachelet para por um fim ao que chamou de política da porta giratória.
“Ela é quem tem acesso ao governo, ela tem a possibilidade de pessoalmente pedir ao governo para libertar os presos políticos, para pedir que o governo pare com a repressão, e que o governo ponha um fim a essa política da porta giratória. Eles prenderam 28 pessoas, e vão prender mais 28”.

Uma das condições colocadas pela ONU para a visita foi a libertação de presos políticos que, segundo a Foro Penal, somam 687 pessoas.

Antes de deixar Caracas, Bachelet também deve fazer uma declaração à imprensa, que será a única coletiva da viagem.

*Com informações da repórter Nanny Cox