Micro e pequenas empresas não se beneficiam das medidas econômicas do governo

  • Por Jovem Pan
  • 05/06/2020 06h50 - Atualizado em 05/06/2020 08h17
Leandro Ferreira/Estadão ConteúdoDiante de uma constatação quase unânime no mercado, o governo publicou nesta semana uma Medida Provisória, de uma linha com garantia do BNDES

O presidente do Sindicato das Micro e Pequenas Indústrias do Estado de São Paulo (Simpi), Joseph Couri, avalia que medidas econômicas adotadas no Brasil não funcionam para o setor.

“O problema persiste, 87% das empresas não tem acesso ao crédito. Resultado disso, 72% das empresas dizem que as medidas do governo não chegam na ponta, nós temos 15% das empresas fechando. Temos demissões, 28% das empresas demitiram e continuarão demitindo. Nós estamos destruindo o mercado interno, fechando empresas e quebrando, porque as medidas que o governo anuncia e toma não chegam na ponta.”

Diante de uma constatação quase unânime no mercado, o governo publicou nesta semana uma Medida Provisória, de uma linha com garantia do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para injeção de R$ 20 bilhões no Fundo Garantidor de Investimentos.

O modelo deve atender empresas com faturamento anual entre R$ 360 mil e R$ 300 milhões com maior possibilidade de acesso pela garantia do governo ao empréstimo.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos