Ministério da Saúde alerta Sul e Sudeste sobre febre amarela

  • Por Jovem Pan
  • 16/01/2020 08h08
SANDRO DE SOUZA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOA vacina contra a febre amarela é ofertada no Calendário Nacional de Vacinação e distribuída mensalmente nos Estados

Com a chegada do verão, o Ministério da Saúde alerta a população a tomar a vacina contra a febre amarela. É nessa época do ano em que ocorrem as maiores notificações da doença transmitida por mosquitos silvestres.

O Sul e o Sudeste do país devem tem maior atenção. As duas regiões registraram, entre julho de 2019 e janeiro de 2020, 38 mortes de macacos infectados com o vírus.

Entre os humanos, no mesmo período, o Brasil todo registrou 327 casos suspeitos de febre amarela. Uma pessoa morreu no Pará e 50 casos ainda estão em investigação.

Segundo o Ministério da Saúde, dois motivos contribuem para o Sul e o Sudeste serem mais afetados: o grande número de pessoas que moram nesses locais e a baixa vacinação.

A pasta informou também que o público alvo para a prevenção está na faixa etária de 9 meses de vida a 59 anos de idade.

Porém, o médico infectologista do hospital Emílio Ribas, doutor Jean Gorinchteyn, explica que nem todas pessoas podem se vacinar. “Aquelas pessoas grávidas, em uso de corticoide, quimioterapia, quem usa medicamentos imunossupressores estão proibidas de tomar a vacina.”

A vacina contra a febre amarela é ofertada no Calendário Nacional de Vacinação e distribuída mensalmente nos Estados. Em 2019, mais de 16 milhões de doses foram ofertadas em todo o país.

Neste ano, o ministério da Saúde vai ampliar os serviços para mais de mil municípios do Nordeste.

*Com informações do repórter Vinicius Moura