Ministério da Economia fará manutenção em milhares de respiradores encostados

  • Por Jovem Pan
  • 28/04/2020 06h38 - Atualizado em 28/04/2020 08h14
Roberto Casimiro/Estadão ConteúdoO tempo de conserto depende do grau de dificuldade do reparo, e pode variar entre três dias e duas semanas

O Ministério da Economia planeja consertar cerca de 3.700 mil ventiladores pulmonares que estão parados no sistema de saúde por falta de manutenção.

Em meio à pandemia do novo coronavírus, o que se verifica é que muitos equipamentos estão paralisados tanto na rede pública, quanto na privada em todo Brasil. Isso representa cerca de 25% da quantidade total. O item é essencial aos pacientes infectados pela covid-19 que apresentam dificuldades respiratórias.

O Secretário de Serviço, Indústria, Comércio e Inovação, Gustavo Ene indica como funciona a operação que conta com o apoio da iniciativa privada.

“Essa é uma ação barata e de rápida reposição, pois nós temos, junto com as montadores, o Senai, a Associação Brasileira de Engenharia Clínica e o Senat a capacidade de devolver esses aparelhos funcionando em boa forma.”

Gustavo Ene faz um apelo para que a sociedade civil contribua com para localizar os itens inativos, caso identifiquem esses aparelhos que necessitam de manutenção.

O tempo de conserto depende do grau de dificuldade do reparo, e pode variar entre três dias e duas semanas. Um modelo novo pode custar até R$ 60 mil no mercado. Até agora, 1727 ventiladores foram encontrados e 349 recuperados e já devolvidos ao sistema de saúde.

*Com informações do repórter Daniel Lian