Ministro da CGU defende decreto que obriga ‘Sistema S’ a detalhar gastos

O chefe da CGU deu a declaração na manhã desta quarta-feira (15)

  • Por Jovem Pan
  • 16/05/2019 08h03 - Atualizado em 16/05/2019 10h21
Reprodução/Google MapsO texto determina que as instituições como Sesi, Senai e Senat publiquem dados detalhados de custos e salários nos sites delas

O ministro da Controladoria-Geral da União, Wagner Rosário, defendeu o decreto do Governo que obriga as entidades do Sistema S a detalhar gastos.

O chefe da CGU deu a declaração na manhã desta quarta-feira (15), pouco antes de participar do 7º Congresso Internacional de Compliance, em São Paulo.

O texto determina que as instituições como Sesi, Senai e Senat publiquem dados detalhados de custos e salários nos sites delas. Algumas das entidades entendem que a medida é inconstitucional e podem questioná-la na Justiça.

O ministro da CGU defendeu a medida e disse que ele mesmo já tentou obter informações do Sistema S pelas normas vigentes até agora e não obteve sucesso. Wagner Rosário afirmou que as instituições recebem dinheiro público e que elas precisam decidir sobre a natureza delas.

O Sistema S é financiado por contribuições compulsórias sobre a folha de pagamento das empresas. O ministro da Economia, Paulo Guedes, já disse que pretende reduzir os repasses às entidades.

*Informações do repórter Tiago Muniz