Ministro do Supremo critica “medidas pífias” do Brasil contra o crime organizado

  • Por Jovem Pan
  • 25/10/2017 06h52 - Atualizado em 25/10/2017 09h02
Lúcio Bernardo Junior/Câmara dos Deputados"Ou vamos decidir que as medidas que temos para o combate ao crime organizado violento são medidas pífias, ou vamos continuar nessa hipocrisia", disse

Ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, critica medidas pífias do Brasil contra o crime organizado: “ou vamos decidir que as medidas que temos para o combate ao crime organizado violento são medidas pífias, ou vamos continuar nessa hipocrisia. Ou vamos decidir que para a segurança pública tem que ter dinheiro… não se faz segurança pública sem dinheiro”.

Para o ex-titular da Justiça, segurança pública não pode conviver com ideologia e hipocrisia: “confundimos autoridade com autoritarismo. Ficou marca que exercer segurança pública fortemente é questão de ditadura, quando em nenhuma democracia avançada, ninguém discute, ninguém perde tempo discutindo isso. Questão de segurança pública é questão de combate à criminalidade organizada, de diminuição de homicídio e de proteção à sociedade. Não tem ideologia”.

Já o ministro da Justiça, Torquato Jardim, ressaltou a internacionalização da criminalidade exige urgência da tecnologia: “tudo é internacional. Tecnologia não é mais concurso público para ter mais funcionário, mas qual o perfil desse novo policial? É o perfil internacional. É tecnologia, satélite, drone”.

O ministro do Supremo, Alexandre de Moraes e o ministro da Justiça participaram de um seminário sobre segurança pública na Câmara dos Deputados nesta terça-feira (24).

*Informações do repórter Marcelo Mattos