Moçambique vai às urnas em tensa eleição sob ameaça de fracassar acordo de paz

  • Por Jovem Pan
  • 16/10/2019 09h00 - Atualizado em 16/10/2019 11h55
EFEA campanha eleitoral deste ano foi uma das mais turbulentas da história, marcada por mortes de lado a lado

A população de Moçambique foi às urnas nesta terça-feira (15) em uma tensa eleição geral que pode ameaçar o acordo de paz firmado há dois meses.

As últimas seis semanas foram marcadas por violência e alegações de fraude eleitoral contra o Frelimo, partido do presidente Filipe Nyusi. No poder já há 40 anos, a sigla manteve um violento conflito armado com o principal oponente, o partido Renamo, liderado por Ossufo Momade.

Em agosto, os dois líderes assinaram um acordo de paz que colocaria um ponto final nas desavenças. No entanto, a recente pacificação está em xeque.

A campanha eleitoral deste ano foi uma das mais turbulentas da história, marcada por mortes de lado a lado.

Principal opositor ao atual governo, Momade disse que não aceitará resultados manipulados e ameaçou um conflito armado se isso ocorrer. As pesquisas indicam que o Frelimo vai conquistar mais um mandato à frente de Moçambique, mesmo com acusações de corrupção contra o presidente.

O presidente escolhido pela população terá que lidar com a crise econômica e, principalmente, com os efeitos dos ciclones Idai e Kenneth, que atingiram o país no início do ano.

*Com informações da repórter Nanny Cox