Moradores do Rio ainda sofrem com problemas na água fornecida pela Cedae

  • Por Jovem Pan
  • 10/02/2020 07h44
Reprodução Cedae Rio de Janeiro Estação de Tratamento do Guandu é a mais importante do Rio de Janeiro

A Cedae espera que a água fornecida para os moradores do Rio de Janeiro e do Grande Rio volte a normalidade ao longo desta semana. Testes feitos na água que sai da Estação de Tratamento do Guandu, que abastece mais de 10 milhões de pessoas na região, apontam para uma melhora, embora, na média do mês de fevereiro, tenha havido um aumento da presença de giosmina, a alga que deu cor, cheiro e gosto terroso na água que sai das torneiras dos moradores cariocas e fluminenses.

Segundo a Cedae, essa foi uma questão meramente estatística, já que novos procedimentos como carvão mineral pulverizado e argila ionizada começaram a ser adotados no Rio que faz parte da Estação, que fica em Nova Iguaçu, Baixada Fluminense.

Algumas regiões ainda recebem a água com gosto e cheiro de terra e barro. Em algumas localidades, a água ainda tem cor de terra, mas a intensidade das características diminuiu sensivelmente desde o início da crise. de acordo com laudos da Cedae, a água que sai do Guandu já está dentro dos padrões estabelecidos pelo Ministério da Saúde. Como a água do Sistema leva até 72 horas para chegar nas casas, em algumas localidades, ela ainda não apresenta suas características de inodora, incolor e insípida.

* Com informações de Rodrigo Viga.