Moraes tira sigilo de decisão que autorizou operação da PF sobre atos antidemocráticos

  • Por Jovem Pan
  • 23/06/2020 06h08
Marcelo Chello/Estadão ConteúdoEle classificou a operação como “imprescindível” diante do quadro exposto

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes retirou o sigilo da decisão que autorizou a operação da Polícia Federal (PF) no inquérito que investiga manifestações suspeitas de conteúdo antidemocrático. Segundo ele, houve “inúmeras publicações jornalísticas de trechos incompletos do inquérito”.

Na decisão que baseou a busca e apreensão pela PF, Moraes afirma que “os indícios apresentados na manifestação da Procuradoria-Geral da República confirmam a real possibilidade de existência de uma associação criminosa” na organização dos protestos. ”

De acordo com o ministro, o grupo possui quatro frentes: organizadores e movimentos; influenciadores digitais e hashtags; monetização e conexão com parlamentares. Ele classificou a operação como “imprescindível” diante do quadro exposto.

A Procuradoria-Geral da República aponta que quatro deputados federais do PSL teriam feito repasses de cota parlamentar para divulgar as manifestações: Bia Kicis, General Girão, Guiga Peixoto e Aline Sleutjes.

A verba teria sido repassada à empresa Inclutech Tecnologia de Informação.Em entrevista ao programa Pingos no Is, no entanto, o General Girão rebateu as acusações.

*Com informações do repórter Levy Guimarães